Confissões de um Mochileiro Iniciante #5


Não sou muito bom em externar verbalmente o que estou sentindo, mas, creio que escrevendo consigo liberar um pouco dos meus sentimentos por meio das palavras.

(...)

Passou tão rápido!

Parece que foi ontem que estávamos na correria do aeroporto para não perdermos a conexão..

Parece que foi ontem que os olhos não fechavam de excitação por conta do longínquo Oceano Atlântico...

Hoje é nosso penúltimo dia em Viena (o último de mamãe e Ester) e o sentimento é completamente agridoce.

Um mix de sensações se instaura em mim. A excitação por partir para a próxima etapa desta Eurotrip e a angústia de deixar um lugar que nos acolheu tão maravilhosamente bem e que surpreendeu e superou TODAS as expectativas.

Eu, jamais, nos meus sonhos mais íntimos e fantasiosos imaginaria que esta experiência em Vienna séria tão épica.

A possibilidade de ir embora, especialmente nesses tempos em que nosso querido Espírito Santo está em pé de guerra é algo desolador.

(..)

Nos últimos dias fizemos TANTAS coisas que se fosse contar nos mínimos detalhes eu ficaria o restante da viagem apenas escrevendo minhas impressões.

Vi o majestoso Belvedere em toda sua imponência  (mesmo num dia de chuva) saído diretamente do meu papel de parede para a frente de meus olhos.

O exuberante Museu de História Natural com suas instalações e peças tão reais mas tão reais que farão até os mais céticos como eu ficarem de boca aberta e com expressão de criança vendo rudo pela primeira vez.

Tivemos mais jantares. Mais histórias. Mais confabulações e muita, mas MUITA risada!

Sessões de cinema brasileiro com Sinbad e Maria. Apertos e carinhos em Thommu e Fleur. Momentos sitcom no transporte público. Fascínio e deslumbramento perante a ostentação da sala da Biblioteca  (momento único, onde fiquei o tempo inteiro com o pescoço virado olhando para cima e babando nos afrescos em "3d" que compõem o teto.



(.)

Preparamos para nos despedir de Vienna com a certeza de que não somos as mesmas pessoas que aqui desembarcaram uma semana atrás.

O coração aperta; um pouco pela despedida e um pouco pelo tanto de afeto e amor que conseguiu acumular nos últimos dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário